Jurídico

Home » Jurídico » Servidor removido a pedido não tem direito a ajuda de custo

fundo

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA:

compartilhe facebookcompartilhe twittercompartilhe twitter

30 de outubro de 2014

Servidor removido a pedido não tem direito a ajuda de custo

stj-Josemar-Gonçalves-Jornal-de-Brasília-600x398O Superior Tribunal de Justiça (STJ) definiu que a indenização de ajuda de custo prevista no artigo 53 da Lei 8.112/90 não é devida ao servidor que, por sua iniciativa, vá servir em nova sede, com mudança de domicílio permanente. Seguindo por maioria o voto do relator, ministro Humberto Martins, a Primeira Seção entendeu que o simples oferecimento da vaga para remoção não contempla a expressão “no interesse da administração” contida na lei.
A petição apresentada pela União chegou ao STJ depois que a Turma Nacional de Uniformização definiu em incidente que a ajuda de custo também era direito do servidor removido a pedido porque “o interesse do serviço na remoção está presente no oferecimento do cargo vago”, e não no procedimento administrativo tomado para preenchê-lo (ex officio ou a pedido).

A União invocou precedente da Quinta Turma, julgado em 2006, em que se decidiu que um servidor não fazia jus à ajuda de custo por ter sido removido de Florianópolis para Curitiba a pedido, por interesse próprio (REsp 387.189).

Magistrados

Para a União, os precedentes usados para embasar a decisão da TNU não se aplicariam ao caso, pois tratam de remoção de magistrados e membros do Ministério Público, que têm a prerrogativa da inamovibilidade. Assim, como não podem ser removidos ex officio, entende-se que ao serem removidos a pedido, em decorrência de concurso de remoção, eles satisfazem o interesse público de preenchimento das vagas, fazendo jus à ajuda de custo.

Ao decidir a questão, o ministro Humberto Martins confirmou a posição do STJ de que somente é devida a ajuda de custo para compensar as despesas de mudança ao servidor que for removido de ofício, no interesse da administração (inciso I do parágrafo único do artigo 36 da Lei 8.112).

Recentemente, a Lei 12.998, de 18 de junho de 2014, incluiu o parágrafo 3º no artigo 53 da Lei 8.112, excetuando explicitamente a concessão de ajuda de custo nas hipóteses de remoção a pedido, a critério da administração, e a pedido, para outra localidade, independentemente do interesse da administração (incisos II e III do artigo 36 da Lei 8.112).

Assessoria de Imprensa do STJ 

porPor: Ascom/PRF-BA

Relacionados

CONVÊNIOS


Portal Rio Una
Faculdade Dom Pedro II – Barreiras
DAYHORC – Hospital de Olhos
Convênio CCAA – Porto Seguro
Alpha Fitness
Minds English School
FTC
SICOOB
Convênio Com Sua Ótica
Convênio Clube Bahiano de Tiro
Convênio Colégio Helyos
Colégio São Paulo
PARCERIA JAC MOTORS E SINPRF/BA
SINPRF-BA amplia convênio com o Colégio Anchieta
CENTRO EDUCACIONAL VILLA LOBOS LTDA
Colégio Vitória Régia
Portobello Ondina Praia Hotel
UNIME
Sonora Centro Auditivo
Consócio Honda
Ímpar Concursos
UNIFACS
BRWay Locadora
FACULDADE BAHIANA

NEWSLETTER

Receba os boletins informativos do sindicado com novidades em seu e-mail