Jurídico

Home » Jurídico » CÂMARA APROVA PROJETO DE LEI QUE PREVÊ NEGOCIAÇÃO COLETIVA NO SERVIÇO PÚBLICO

fundo

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA:

compartilhe facebookcompartilhe twittercompartilhe twitter

29 de setembro de 2017

CÂMARA APROVA PROJETO DE LEI QUE PREVÊ NEGOCIAÇÃO COLETIVA NO SERVIÇO PÚBLICO

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou na última terça – feira (26), o Projeto de Lei (PL) 3831/15, que estabelece normas para a negociação coletiva no serviço público da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. A FenaPRF e o sistema sindical dos PRFs trabalharam incansavelmente nos últimos anos pela aprovação desta pauta.

O PL estabelece que podem ser tratados na negociação temas como plano de carreira, remuneração, condições de trabalho, planos de saúde, estabilidade e avaliação de desempenho, aposentadoria e demais benefícios previdenciários. Ao todo, o projeto estabelece 13 pontos que podem ser negociados. Participam do processo de negociação coletiva, de forma paritária, os representantes dos servidores e empregados públicos e os representantes do ente estatal respectivo.

“O projeto busca estimular formas alternativas para a solução dos conflitos (…) promovendo a redução da judicialização de demandas, que podem ser resolvidas de modo mais célere entre as partes envolvidas”, destacou no seu parecer o relator do PL, deputado Betinho Gomes (PSDB-PE).

De acordo com o PL, a negociação coletiva é o mecanismo permanente de prevenção e solução de conflitos envolvendo os servidores e empregados públicos e os entes federativos, suas autarquias e fundações públicas. A abrangência da negociação será definida livremente pelas partes e poderá, por exemplo, envolver todos os servidores de um estado ou município ou de apenas um órgão.

Mediação
Apesar de ter canais permanentes de diálogo no Executivo federal, a negociação coletiva ainda não tinha previsão legal e, atualmente, a mesma não é uma prática corrente no serviço público. O PL 3831/15 estabelece a permissão para que os dois lados da negociação solicitem a participação de um mediador para resolver uma questão em debate.

“Hoje, no Brasil, garante-se ao servidor público o direito de greve, sem lhe assegurar, contudo, o direito de negociação coletiva, o que é um contrassenso”, afirmou o relator.

O PL teve origem no Senado e foi aprovado em caráter conclusivo na CCJ da Câmara. Dessa forma, segue agora para a sanção da Presidência da República.

O texto prevê ainda a punição para os dois lados da mesa de negociação quando houver desinteresse em adotar as medidas acordadas. Para o representante de órgão público, esse tipo de conduta poderá ser enquadrado como infração disciplinar. Já os representantes dos empregados poderão ser multados em valor proporcional à condição econômica do sindicato.

Quando for concluída a negociação, o texto estabelece que será elaborado um termo de acordo, no qual estarão contidas as partes abrangidas, o objeto negociado, os resultados alcançados com a negociação coletivas, as formas de implementação e os responsáveis por ela. Além disso, estará descrito o período de vigência e a especificação da possibilidade de renovação ou revisão do acordo.

O PL também prevê que, assim que publicada a lei, seus efeitos serão monitorados e avaliados pelos representantes dos servidores e empregados públicos e pelos representantes do respectivo ente estatal.

FONTE: AGÊNCIA BRASIL

 

porPor: ASCOM - SINPRF-BA

Relacionados

CONVÊNIOS


Minds English School
UNIME
UNIFACS
Convênio Colégio Helyos
Colégio São Paulo
FACULDADE BAHIANA
Faculdade Dom Pedro II – Barreiras
Sonora Centro Auditivo
FTC
Portobello Ondina Praia Hotel
SINPRF-BA amplia convênio com o Colégio Anchieta
Alpha Fitness
Convênio CCAA – Porto Seguro
SICOOB
Portal Rio Una
PARCERIA JAC MOTORS E SINPRF/BA
DAYHORC – Hospital de Olhos
Colégio Vitória Régia
Convênio Com Sua Ótica
BRWay Locadora
Ímpar Concursos
Consócio Honda
CENTRO EDUCACIONAL VILLA LOBOS LTDA
Convênio Clube Bahiano de Tiro

NEWSLETTER

Receba os boletins informativos do sindicado com novidades em seu e-mail